Vocação internacional da Embrapa gera desenvolvimento

Divulgação

“Estamos vendo o resultado da união de diversos países, em busca do desenvolvimento agropecuário, por meio da pesquisa, da transferência de tecnologia e de projetos voltados para o desenvolvimento e a inovação”, declarou o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Mendes Ribeiro, durante a solenidade de abertura da Plataforma Agricultural Innovation Marketplace Forum 2012, na manhã desta quarta-feira (1/8), na sede da Embrapa, em Brasília.

Durante o evento, os pesquisadores envolvidos nos 20 projetos aprovados para a África receberam, dos parceiros da Embrapa, o montante de hum milhão e 600 mil dólares; para os cinco projetos da América Latina e Caribe, foram destinados 400 mil dólares.

O fórum deste ano, que prosseguiu até hoje (3/8), inclui a terceira rodada da Plataforma África Brasil (Africa Brasil Agricultural Innovation Marketplace) e a primeira rodada da Plataforma America Latina e Caribe-Brasil de Inovação Agropecuária (Lac-Brasil Agricultural Innovation Marketplace), mecanismos criados com a finalidade de financiar projetos voltados para o desenvolvimento e a inovação da agricultura, além de fortalecer as relações entre as organizações dos países envolvidos.

Contrastes - Ao situar que há países que concentram um forte índice de pobreza em suas populações rurais, enquanto outros exportam seus excedentes e o agronegócio influencia positivamente seus PIBs, o ministro disse: “Quem tem mais, transfere para quem tem menos”.

Para o presidente da Embrapa, Pedro Arraes – que reafirmou a vocação internacional da Empresa – esse modelo de Plataforma eletrônica é um sistema extremamente ágil para mobilizar competências, botar pesquisadores frente-a-frente e compartilhar conhecimento. “É um instrumento em constante aperfeiçoamento; é inovação em movimento”, enfatizou.

O ministro apresentou dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), que apontam a má nutrição como responsável por cerca de 3% da incidência de doenças em países de baixa renda. Até 2010, na América Latina e Caribe, 31% da população total vivia em situação de pobreza e 12,5% em situação de extrema pobreza.

“Não podemos ignorar esses indicadores”, disse Mendes Ribeiro, situando que o Brasil atingiu um nível elevado de transferência tecnológica, relacionada, em especial, à produção de culturas tropicais. “E nesse campo, a atuação da Embrapa tem servido de exemplo para o mundo e tem orgulhado muito o governo brasileiro”, afirmou.

Projeto de Governo - Ainda sobre a Embrapa, o ministro disse que a empresa estará totalmente inserida no novo projeto do Governo Federal, que por determinação da presidente Dilma Rousseff, decidiu investir na criação de uma nova estrutura pública, para ampliar a oferta de serviços de assistência técnica aos produtores rurais brasileiros.

“Vamos aliar a pesquisa à assistência técnica para levar mais eficiência ao campo”, garantiu Mendes Ribeiro, para em seguida citar o objetivo da futura Agência Pública de Fomento Nacional: “intensificar o uso de tecnologias modernas e integrar um contingente maior de estabelecimentos rurais nas cadeias produtivas da agricultura sustentável, para acelerar o processo de inovação e fortalecer a posição do Brasil como fornecedor de alimentos, fibras e bioenergia.

Parceiros - Um vídeo sobre a plataforma África-Brasil, realizado com recursos do Banco Mundial e da Embrapa, com tomadas feitas no Brasil, na África e Estados Unidos, mostrou atividades e depoimentos de diversos parceiros. Pedro Arraes anunciou que já está em fase de produção o segundo vídeo da Plataforma, que contemplará América Latina e Caribe.

A solenidade contou com a participação dos seguintes parceiros: o secretário-geral do Ministério das relações Exteriores, Rui Nogueira; diretor-geral da Agência de cooperação (ABC), Marco Farani; diretor-geral do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), Victor Villa Lobos; presidente do Forum para pesquisa Agropecuária na África (FARA), Adewale Adekunle; representantes do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), Carmem Moura; do Departamento para o Desenvolvimento do Reino Unido (DFID), Daniel Bradley; da Fundação Bill e Melinda Gates, Katherine Kahn, do Fundo Internacional para o Desenvolvimento da Agricultura (IFAD), Hardi Vieira; do Banco Mundial, Willen Janssen; do Banco Interamericano, John Horton; do Centro Internacional para agricultura tropical (CIAT), Simone Staiger, e da FAO, Gustavo Chianca.

Para saber mais sobre cada uma das plataformas entre nos hotsites:
• www.africa-brazil.org
• www.lac-brazil.org

E também no blog
• www.africabrazillac-forum2012.blogspot.com.br/

[Fonte: Embrapa / Texto: Mônica Silveira (682/05/34/DRT-DF)]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Powered by WordPress | Designed by: diet | Thanks to lasik, online colleges and seo